Projetos Autónomos de Formação - Compete 2020

Projetos  de   Autónomos de Formação

Foi publicado no passado dia 10 de Novembro Aviso de Concurso 22/SI/2017 que disponibilizará   apoios financeiros a conceder para Formação dos Ativos das Empresas (empresários, gestores e técnicos) com o objetivo da qualificação dos portugueses   na promoção  da inovação na economia  e  no reforço da integração das empresas em cadeias de valor internacionais

Objetivos e prioridades 

Intensificar a formação dos empresários e gestores para a reorganização e melhoria das capacidades de gestão, assim como dos trabalhadores das empresas, apoiada em temáticas associadas à inovação e mudança, através do:

•Aumento da qualificação específica dos trabalhadores em domínios relevantes para a estratégia de inovação e internacionalização das empresas;

•Aumento das capacidades de gestão das empresas para encetar processos de mudança e inovação.

Tipologia dos projetos

São suscetíveis de apoio os projetos de formação, na modalidade de candidatura individual, por via de ações de formação autónomas que visem objectivos de inovação e competitividade. Estes projetos formativos devem estar associados a investimentos relevantes como a inovação, a transferência de tecnologia, a adoção de tecnologia da Indústria 4.0, a internacionalização ou a qualificação de empresas

Natureza dos Beneficiários

Os beneficiários dos apoios previstos no presente Aviso de concurso são empresas (PME e Não PME).

Condições específicas de acesso

•Contribuir para o aumento da qualificação específica dos trabalhadores em domínios relevantes para a estratégia de inovação e internacionalização das empresas; Contribuir para o aumento das capacidades de gestão das empresas para encetar processos de mudança e inovação;

•Ser sustentado por um plano formativo adequadamente fundamentado: identificação das necessidades de formação, identificação dos objetivos, atividades (plano formativo) e resultados a alcançar e a sua ligação à estratégia e investimentos em domínios relevantes para a competitividade da empresa;

•O plano de formação dever ter um custo total superior a 75 mill euros;

•Ter uma duração máxima de 24 meses;

Natureza dos incentivos

•Taxa base de incentivo de 50%, a fundo perdido, acrescida das majorações a seguir indicadas, não podendo a taxa global ultrapassar 70%:

•Majoração em 10 p.p. se a formação for dada a trabalhadores com deficiência ou desfavorecidos;

•Majoração em 10 p.p. se o incentivo for concedido a médias empresas e em 20 p.p. se for concedido a micro e pequenas empresas

Despesas elegíveis

•Os encargos com a remuneração dos ativos em formação que decorram durante o período normal de trabalho são contabilizados a título de contribuição privada;

•Custos com formandos relativamente aos quais se comprove a frequência mínima de 80% do tempo previsto para cada ação;

•Custos com formadores relativamente à sua remuneração, honorários ou despesas, com as limitações previstas:

•Não podem incluir custos de Alojamento

•Os encargos relativos a Alimentação e Transporte têm como limite máximo 25% do valor por hora do formador ou consultor.

•Os custos máximos elegíveis do projeto, excluindo formandos e formadores, não podem exceder 2,50 euros por hora e por formando.

•As ações  de formação  previstas no projeto não poderão ter um duração inferior a 8 horas

Investir na aquisição de novo conhecimento e desenvolvimento de novas competências   é uma oportunidade que importa considerar

O GIAGI  entidade certificada pela DGERT, dispõe  de   experiência relevante  em projectos de Formação Profissional e, está completamente disponível para analisar com todas as empresas a possibilidade de se elaborar e apresentar uma  candidatura para efeitos de apoio.

Consulte o nosso site www.giagi.pt  para conhecer a nossa oferta formativa

Contatos:

·         Fernando Vieira

·         Susana Ferreira

·         Telefone 234 371 147 email sta@giagi.pt

Download